LBOX a liga competitiva dos consoles

A LBOX chega no cenário competitivo de Overwatch dos consoles  e mostra que não é só a galera do PC que manda muito bem no FPS.

Nesta BGS 2018 tivemos um destaque inédito para a galera que vem batalhando seu lugarzinho ao sol no competitivo de Overwatch nos consoles.

A LBOX em parceria com a Blizzard e a XBOX Brasil realizou dois campeonatos nos dois últimos dias de BGS. Sábado foi a vez do R3N Gaming contra a RaaR Gaming e domingo tivemos um confronto feminino com times fechados dentro da comunidade do console.

 

O confronto das equipes no stand do XBOX

Sábado foi dia de um mega confronto entre duas das equipes mais sólidas do cenário atualmente.

r3ngaming-xbox-concole-bgs2018-bgs-mmj-cojanooverwatch-lbox

R3N Gaming no backstage do stand do XBOX

raargaming-concole-xbox-lxbox-bgs2018-mmj-cojanooverwatch

RaaR Gaming no backstage do stand do XBOX

As partidas contaram com a narração de Thauê Neves, narrador oficial da Overwatch Contenders Sul-Americana e Ana Paula Cardoso (Ana Xisdê), comentarista oficial da Overwatch Contenders Sul-Americana.

O confronto acabou em 2×0 para para a R3N Gaming e os mapas escolhidos foram King’s Row e Hanamura.

O cenário competitivo de Overwatch nos consoles ainda é muito fraco, mas tem boas chances de destaque e crescimento, a oportunidade que tanto o stand da XBOX deu aos times, quanto a Blizzard também deu oferecendo total apoio ao “mini” campeonato mostra exatamente isso.

Apesar de ter o apoio de duas empresas gigantes dos jogos, o que mostra a possibilidade de sucesso de um campeonato é o interesse e o apoio do público e isso nós podemos constatar ao vivo durante o evento que houve até de sobra!

bgs2018-bgs-lbox-xbox-console-overwatch-mmj-cojanooverwatch

Stand do XBOX durante as partidas da LBOX

LBOX promove confronto feminino na BGS 2018

No domingo tivemos um confronto feminino promovido pela LBOX novamente em parceria com a Blizzard e o XBOX, mas desta vez os times foram formados dentro da própria comunidade de Overwatch, com inscrições feitas no dia do do evento e ainda contando com a presença da Youtuber Malena no palco do stand do Xbox em colaboração com Thauê Neves e Ana Xisdê nos comentários das partidas.

feminino-xbox-lxbox-bgs-cojanooverwatch-shiro

lbox-feminino-cojanooverwatch

malena-youtuber-xbox-lbox-feminino

Malena, Thauê Neves e Ana Xisdê

Bate papo com Luis Bulgari Ceo da LBOX

No domingo tivemos um bate papo rápido com Luiz Américo Bulgari, o CEO de 22 anos da LBOX e ele nos contou quais as dificuldades atuais do cenário e suas expectativas para o desenvolvimento dele.

anaxisde-thaueneves-luizbulgari-lbox-bgs2018-bgs-cojanooverwatch

Da esquerda para a direita: Thauê Neves, Luis Bulgari e Ana Xisdê.

Coja no Overwatch / Overtime: Qual é a sua função? O que faz?

Bulgari: Minha função é organizar os campeonatos do console XBOX One, focando simplesmente em tirar o pessoal da casualidade.

Tem muito jogador casual, praticamente todos os jogadores são casuais e com os campeonatos a gente tira essa vivencia da casualidade, trazendo uma vivencia competitiva pros jogadores.

Coja no Overwatch / Overtime: Quais são os principais jogos abordados na liga?

Bulgari: O foco da liga é somente Overwatch.

No ano passado quando começou a liga em Março de 2017, eu pensei também em colocar Rainbow Six e Fifa, mas como eu sei que os campeonatos já existem, eu preferi focar no Overwatch porque não tiveram tantos campeonatos. Os que tiveram foram muito pequenos, não tiveram tanta visibilidade e não trouxeram muita expectativa pros jogadores.

E a partir do momento que eu comecei a jogar Overwatch eu já me apaixonei pelo jogo e já quis complementar com o campeonato.

Coja no Overwatch / Overtime: Qual é a situação atual do cenário competitivo de Overwatch?

Bulgari: O competitivo do console ainda é bem fraco. Nós temos poucas equipes que são sólidas, com uma equipe por trás, com o pessoal de marketing por trás, normalmente as equipes são formadas apenas pelos jogadores mesmo.

São colegas ou amigos de classe, amigos de jogo, eles montam as equipes e assim eles começam a focar no campeonato.

Coja no Overwatch / Overtime: Quais são suas expectativas para a futura profissionalização dos jogadores de console?

Bulgari: Minha expectativa pós BGS é muito grande. Aumentou, a gente consegue agora mostrar pras equipes que o campeonato de console tem futuro.

Pessoal pode investir, pessoal consegue colocar dinheiro principalmente, que a questão é dinheiro né? Financeira…

O foco a partir de hoje é querer mostrar pras equipes profissionais, posso mostrar para BGH, para a Pain Gaming, até pra Dogma, que nós temos equipes e que eles podem focar nessas equipes de Overwatch.

Coja no Overwatch / Overtime: E como funciona o campeonato de console? Por onde são feitas as divulgações, transmissões e etc?

Bulgari: Divulgação é feita pelo Facebook e pelo Twitter. A divulgação é bem fraca, mas nós compartilhamos nos grupos de Overwatch, em todos os grupos de Overwatch nós temos uma pessoa responsável que vai sempre aplicar as mensagens, que vai atualizar as mensagens…

O campeonato funciona todos os finais de semana, sábado e domingo.

O primeiro campeonato rodou com 8 equipes, baseado na liga do League of Legends que eram 8 equipes e em formato MD2.

Essa edição que tivemos agora no ano de 2018, foram 16 equipes, onde nós tivemos 8 jogos por final de semana, 4 no sábado e 4 no domingo.

Os mapas são divulgados pelo Whats App e pelo Facebook para as equipes e elas são organizadas utilizando o Battlefy.

Coja no Overwatch / Overtime: Aqui no caso do Brasil, se o jogador quiser ser profissional jogando no console, qual é o tipo de barreira que ele pode encontrar?

Bulgari: O tipo de barreira que ele pode encontrar é questão de investimento, são poucas equipes que a gente tem no console, as equipes de Gear e as equipes de Rainbow Six são mais sólidas do que as de Overwatch.

Equipe sólida que eu conheço hoje, é a Starligth que são uma parte das meninas que jogaram hoje e a R3N Gaming que jogou ontem, são duas equipes bem sólidas no cenário, são equipes com uma equipe de marketing por trás, com uma equipe de divulgação, uma equipe também financeira pra ajudar. O que pode pegar ali de limitação para os jogadores é investimento mesmo.

 

E você jogador de console, agora tem grandes expectativas de ver esse cenário crescer?

Você pode acompanhar a Liga de consoles através das redes sociais, ficar por dentro de todas as partidas e até mesmo obter informações de como ingressar na liga.

E continue ligado aqui no Coja no Overwatch que ainda tem muita matéria sobre a BGS 2018 e sobre Overwatch para vocês!